Follow me:

We Have to Stay Outside

Sinto falta dos meus discos. Do meu Are We There da Sharon Van Etten, tocando com chiadinhos a Nothing Will Change.

Mudamos de cidade na semana passada e ficamos com medo de enviar os discos no caminhão. E, claro, nos arrependemos amargamente, pois tudo chegou intacto, em perfeito estado. Nenhuma xícara quebrou, nenhum objeto arranhou, nada se perdeu no buraco negro das mudanças. Poderíamos ter enviado os discos, mas o excesso de cuidado dominou a decisão final.

Os discos ficaram com os meus pais e eu sei que estão em ótimas mãos. Mas parece que falta algo nessa casa, as paredes silentes precisam de música e os nosso corações também. Sim, desculpa, estou reclamando demais, posso muito bem colocar o foobar pra tocar alguma coisa que eu baixei no soulseek. Mas, mas, mas, é a nossa pequena coleção que recebe todo cuidado e atenção e carinho. É pequenina e simples, mas todo disquinho foi garimpado com amor.

O Ministério da Saúde adverte: a loucurinha do apego musical não tem cura. Nem adianta se tratar.

Estou ficando com muita vergonha desse blog. Pensei em apagar tudo, pois tinha tanta foto com aberração cromática, tanta foto torta e ruim, que nossa. Mas pensei cinco vezes e resolvi deixar tudo aqui. Quem sabe não ocorre uma evolução fotográfica e textual nesse espaço etéreo? Quem sabe. As laranjas são felizes, pelo menos.

Godard e a sua carinha. Não sabe se quer sair, se quer comida, se quer brincar.
Indecisões caninas.

Essa chaleira não funciona. Ficou de decoração.

AliExpress, long time no see.

No quintal.

Na esquina.

Previous Post Next Post

7 Comments

  • Reply BA MORETTI

    e o que seria de nós sem alguns apegos, não é mesmo?

    February 11, 2016 at 5:27 pm
    • Reply Izzy

      não é? : )

      February 18, 2016 at 12:48 pm
  • Reply Kali

    Não acaba com seu blog não. Eu acabei de descobri e gostaria de aproveitá-lo. Quanto aos seus discos, já já estarão com eles. E quanto as suas fotos, são ótimas. Ainda não vi aberrações, mas se tiver deixa.

    February 16, 2016 at 4:40 pm
    • Reply Izzy

      Obrigada pelas palavras, Kali!
      Eu sempre tenho essa vontade louca de deletar tudo. Acho tudo muito ruim, às vezes acho legal, depois acho uma bosta. Mesmo não tendo muita coisa nesse blog, fique à vontade para aproveitá-lo. : )

      February 18, 2016 at 12:54 pm
  • Reply Alessandra

    Izzy, vai buscar esses discos a-go-ra! Hahaha imagina só que os nossos discos e toca-discos atravessaram o oceano junto com o resto da mudança. Chegaram em perfeito estado, mas tivemos que esperar 3 meses para vê-los e ouví-los novamente.

    February 22, 2016 at 2:50 pm
    • Reply Izzy

      Acabei de pegar os discos, Alê! <3

      Fico imaginando como eu faria numa mudança grande assim. Disco é bem inconveniente para transportar, é grande, frágil e pesado. Como você fez/embalou? Aceito dicas!

      Obrigada pelo comentário! 😘

      February 26, 2016 at 1:29 pm
  • Reply Alessandra

    Foram os caras da transportadora que embalaram com bastante papel pardo. Meu marido que vigiou o cara que embalou os discos enquanto eu vigiava outro cara em outro cômodo, então não vi como os discos foram colocados na caixa. Mas muitos dos nossos discos foram comprados nos EUA e vieram nas malas misturados com as roupas e chegaram em BSB inteiros.

    February 26, 2016 at 2:01 pm
  • Leave a Reply