Follow me:

Tsundoku

Tsundoku é uma palavra japonesa que define o “ato de comprar livros e não lê-los”. Se você gosta de livros, aposto que já viveu vários momentos Tsundoku. Quem nunca? Tenho até vergonha de dizer, mas 30% da minha estante (ou mais!) é um Tsundoku.

Nos últimos anos, a minha frequência de leitura caiu muito e diversos livros estão pela metade, inacabados. Comprei e ganhei outros livros, alguns ainda estão com preço (vergonha define). Mas quero e preciso reverter essa situação. Ler a parte Tsundoku da estante pode ser a solução para a preguiça literária que me domina.

Estou terminando Os Homens que Não Amavam as Mulheres, de Stieg Larsson. Provavelmente, eu vou me aventurar na trilogia Millennium, pois que-livro-foda-lisbeth-tem-a-lisbeth! Então, depois de finalizar a saga sueca, vou dar atenção ao livros produzidos pelo Tsundoku. Até separei alguns que eu gostaria de ler primeiro.

•••

Tocando A Distância: Ian Curtis & Joy Division

Adoro biografias e quando é da galera da música, eu adoro mais ainda. O livro foi escrito pela Deborah Curtis, viúva de Ian. Está na minha estante desde sei lá quando, junto com Bowie, Smiths, Ramones, Slayer, Dead Kennedys e Chet Baker. Será o primeiro a sair da nuvem tóxica do Tsundoku.

t3

•••

World of Warcraft: A Ruptura 

O jogo que eu mais amo no mundo é o World of Warcraft. Já tive a fase de vício extremo, de deixar de comer e sair pra jogar, farmar mounts, pets, raidar. Parei um pouco esse ano, mas pretendo voltar na próxima expansão. Tudo relacionado ao jogo me interessa: action figures, blusas, livros! Quem joga e tem um pouquinho de curiosidade, sempre quer saber mais sobre a lore* no universo do WoW. Vários livros da Christie Golden foram traduzidos e adaptados para o português. E A Ruptura também está na lista para sair do Tsundoku.

*lore: em resumo, refere-se às informações e histórias de um determinado evento ou personagem.

•••

♦ A Trilogia Nikopol / Tetralogia Monstro

Se tem uma coisa legal que acontece em Belo Horizonte, essa coisa é o FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos). Graças ao festival anterior, conheci Enki Bilal. Conheci não é a melhor palavra, pois os quadrinhos adquiridos estão no limbo da estante. Portanto, A Trilogia Nikopol e Tetralogia Monstro, ambos publicados pela editora Nemo, fazem parte do meu Tsundoku particular e espero tirá-los dessa condição.

•••

♦ Cidade dos Ossos + Cidades das Cinzas

Gente, o que esse livro tá fazendo na minha estante? É sobre o quê? Quem é Cassandra Clare? Pois é, esse é o verdadeiro sentimento produzido pelo Tsundoku. Você compra e não lê, nem sabe que existe, nem sabe como ou quando você comprou. Parece que tem até filme do livro, gente. Será que foi a capa? Edição de colecionador é sempre bonita, né? Pois é, vamos parar de enrolação e vamos ver se é bom! Fica esperto, Tsun.

•••

Foras da lei barulhentos, bolhas raivosas e algumas outras coisas que não são tão sinistras, quem sabe, dependendo de como você se sente quanto a lugares que somem, celulares extraviados, seres vindos do espaço, pais que desaparecem no Peru, um homem chamado Lars Farf e outra história que não conseguimos acabar, de modo que talvez você possa quebrar esse galho

Sim, esse é o título do livro e requer um pouco de malabarismo para identificá-lo na sobrecapa! E sabe o que é mais legal? Você pode terminar a história de um conto e mandar para a editora Cosac Naify. Que doidera! O livro reúne contos de vários autores como Neil Gaiman, Jon Scieszka e Nick Hornby, e está pegando poeira na minha casa. É o quinto da lista, mas não estou muito motivada a seguir a ordem. (af, já começou a bagunça)

•••

Essa é uma pequena parte do meu Tsundoku. Tantos livros sem um sinal de manuseio (/cry). Será que vou conseguir ler os selecionados? Esse mês comprei mais alguns títulos da Darkside, mas eu prometo que vou ler tudinho, prometo. 

*Leia mais aqui!

Previous Post Next Post

No Comments

Leave a Reply