Follow me:

Pai Jão

Passei muito tempo da minha vida evitando pessoas. Boa parte eu evitei mesmo, mas boa parte não. Fui mal interpretada várias vezes. Eu não queria evitar contato, eu apenas não conseguia manter contato, por um motivo ou outro.

Por diversas vezes eu sumi do mapa, mas todos sabiam onde me encontrar. Tentaram fazer isso? Não. Para não ser equivocada, devo dizer que houve exceção. Mas na maioria das vezes, não. As pessoas não ligam para você, não estão nem aí se você desapareceu ou não, nem ao menos pegam o telefone ou mandam um e-mail para saber como você tá. E não estou falando de pessoas, apenas pessoas, estou falando de supostas amizades que fazemos no decorrer dessa vida.

Por várias vezes eu me arrependi de ter sido tão esquiva. Por várias vezes, pensei em mudar esse meu jeito mais introspectivo e solitário. Entretanto, acho que eu estava enganada e fiz um péssimo uso da palavra amizade. O ideal não é encontrar as pessoas certas, e ter a sorte de encontrar as pessoas certas. O ideal é saber quem merece, de fato, o título de amigo. O ideal é saber reconhecer quem merece esse posto na sua vida ou não. E é com elas que a gente deve se preocupar. O resto, meus queridos, é só um avatar colecionável de rede social.

É muito bom começar a semana selecionando aquilo que realmente importa. Faz a vida ter sentido, ter rumo. Nem que seja por poucas horas. Ou por quase 3 minutos, como essa música do novo álbum do pai jão.

Boa semana para todos, com mais atenção ao que realmente importa. E aquilo que não importa, que se dane.

Previous Post Next Post

No Comments

Leave a Reply