Follow me:

Doctorate

E hoje eu tive mais uma reunião com o meu orientador. Para não perder o hábito, entrei em seu laboratório com desesperança e algumas gotas de agonia no olhar. Não é fácil fazer pesquisa, não é fácil escrever uma tese, não é fácil encontrar paz em um tema complexo. Não é fácil encontrar um tema, aliás. E ainda tenho a sorte de ter um excelente orientador. Crítico, dedicado, muito inteligente e preocupado, aspectos que fazem toda a diferença na minha vida acadêmica.

E hoje, entre uma discussão e outra, falamos sobre lugares e mudanças. Lugares para trabalhar, morar, aposentar. Eu disse que não tinha um lugar e que a minha localização nesse mundo era incerta. Eu disse que não queria ficar aqui e que também não queria voltar. Eu disse que não conseguia criar raízes, nada era o meu lar.

– Sou uma alma perdida nesse mundo, sem lugar para estar.

E ele me respondeu: você sempre enxerga do jeito errado. Alma perdida que nada. Você pode ir para qualquer lugar, você é do mundo. Você é uma mulher livre.

Acho que nunca mais vou encarar o meu sentimento de “não pertencer” como algo negativo. O que tenho dentro de mim, por mais incômodo que seja, é a mais pura liberdade.

Previous Post Next Post

4 Comments

  • Reply Claudia Hi

    Sábias palavras do seu orientador! Acho que é realmente isso. Você vai sempre querer ver mais do que o horizonte permite. E isso é ótimo pois você vai estar sempre aprendendo e se desenvolvendo!

    Boa sorte com sua tese!

    June 29, 2017 at 7:19 am
  • Reply Alê

    Que lindo! Toca aqui e vamos continuar sendo ET por esse mundo afora. Sempre me senti meio outsider também, mas aprendi a lidar e viver no meu mundinho particular. Stay weird. Beijos!

    July 13, 2017 at 6:12 am
  • Reply KARINE

    que conversa maravilhosa essa ❤

    July 13, 2017 at 6:13 pm
  • Reply Camila Faria

    Maravilhoso esse seu orientador, que te abriu os olhos para um mundo inteirinho de possibilidades. Coisa linda. <3

    July 21, 2017 at 5:32 pm
  • Leave a Reply