Follow me:

Cidades

Estivemos em Santos no último final de semana. Sob um sol escaldante, perambulamos pelas ruas da cidade e entre um sorvete aqui e uma água gelada ali, nos deparamos com uma pequena feira de artesanato e comidas. Minha barriguinha pulou de alegria ao sentir os doces próximos. Sou uma formiguinha assumida e uma tarefa para esse ano que já começou, é justamente parar de comer doces feito uma criança na fábrica do Willy Wonka.

Avistei uma barraca de comida árabe e, de longe, já sentia o cheiro de zaatar. Os doces estavam lindos e cheirosos, as amêndoas brilhavam e os damascos não estavam murchos. A mulher, dona da barraca, portava a indumentária típica: véu e túnica. Eles têm nomes específicos, mas eu não tenho esse conhecimento para passar. Ela não conseguia falar “cardamomo”. Eu a ajudei: car-da-mo-mo! Ela respondeu: carmumu! E curiosa como sou, perguntei de onde ela era.

Da Síria. Nasceu em Aleppo. Estava com as filhas aqui no Brasil e o marido não conseguiu sair do país. Ela falava que estava preocupada com as crianças, pois o o inverno sírio era rígido e elas não tinham como se proteger. “Estão dormindo em caixas de papelão”, ela disse.

Eu só conseguia olhar para aqueles olhos bem marcados e sentir ternura. Peguei meus doces (que estavam excelentes, devo dizer – o mamul estava muito bom!) e me despedi. Fui pegar o troco e ela me olhou com carinho e disse: muito obrigada, Habib.

E foi assim que ocorreu o primeiro acontecimento improvável de 2017: conheci, em Santos, uma mulher da Síria, nascida em Aleppo, que falava carmumu e fazia um mamul maravilhoso.

Previous Post Next Post

4 Comments

  • Reply BA MORETTI

    a vida tem dessas né? e ai, damasco! coisa tão boa 🙂

    January 16, 2017 at 7:44 pm
    • Reply Izzy

      não é? 🙂

      January 29, 2017 at 7:10 pm
  • Reply Bárbara

    Oii! Eu sou de Santos e até imagino quem seja essa moça da feirinha Hippie. Aqui em Santos há muuuuitos estrangeiros, trabalhei no setor de estrangeiros na policia federal daqui e fiquei surpresa. A maioria são Portugueses que desembarcaram aqui, mas há muitos sírios também. Espero que tenha gostado da cidade!

    March 16, 2017 at 1:56 pm
    • Reply Izzy

      Oi, Bárbara! Eu adorei os docinhos comprados e adorei ouvir um pouco da história dela. Eu gosto muito de Santos, apesar do calor que faz aí. Sério, eu passo mal de tanto calor! Muito obrigada pelo seu comentário. 🙂

      April 9, 2017 at 2:00 pm

    Leave a Reply